quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Arcádia Quest: O Jogo da Treta, Vish!


Olá senhoras e senhores, leitores e jogadores. Tudo bem?

Aqui estamos com mais uma postagem sobre board game, também, pudera, amo jogos de tabuleiro. Mas por que eu indico Arcádia Quest? É muito simples, a diversão e treta é garantida.
Mais uma vez devemos agradecer a Galápagos, ótimo investimento.

O jogo tem uma história por trás, simples, mas legal.
Arcádia era uma cidade esplendorosa, contudo, um vampiro conhecido como Lorde Presas a dominou. E se não bastasse, também conquistou o Templo do Amanhecer Crepuscular, deixando o mundo mergulhado em trevas.
Agora está nas mãos das guildas da cidade derrotar esse Lorde vampiro. Mas é aí que mora o problema, as guildas se odeiam!


Essa é a história base, mas o pano de fundo incrementa muito mais. São diversas missões de diferentes níveis. O jogo não acaba em uma partida, é como se fosse um filme de aventura, você vai avançando na trama até chegar ao final, onde enfrenta o Lorde Presas. Uma missão pode demorar em média 60 minutos. Não espere "dar final" num único dia (risos). Exatamente por isso é que existe os blocos de anotações, para que você marque o seu progresso e volte a jogar de onde parou na sessão anterior.

Quantas pessoas podem jogar? 
De 2 a 4 jogadores. Sendo assim, temos até quatro guildas para escolher (Azul - Águia, Verde - Panda, Vermelho - Raposa e Amarelo - Leão). Além disso, você também poderá escolher três heróis para sua guilda, isso mesmo, durante a partida você controlará até três personagens, e cada um deles tem habilidades exclusivas. Dessa forma você tem a liberdade de montar o combo que quiser.

E uma das coisa mais legais desse jogo são os elementos muito presente do RPG. Você acumulará moedas durante as missões e então comprará o seu equipamento e magia, melhorando o desempenho dos personagens. O aumento de poder é notável. 

E a Treta?
Para quem já jogou Munchkin, sabe muito bem do que estou falando. Segue a mesma ideia (risos). Até certo ponto o jogo é "cooperativo", depois se torna um palco de guerra entre os jogadores, uma verdadeira arena onde todos estão sedentos por vingança. Isso é que torna Arcádia um jogo divertido e dinâmico, onde seus nervos e amizades são testados ao limite (HAHAHA). A zombaria parece não ter fim e o PVP come solto.
É claro, a partida fica muito mais encrenqueira quando algumas das guildas/jogadores decidem fazer alianças temporárias. 

As regas são simples, fáceis de se entender. A movimentação e o combate são ótimos, tanto para os jogadores quanto para os monstros. A qualidade do material é impecável, as miniaturas são lindas e o tabuleiro segue a mesma dinâmica do Zombicide, com dois lados e montável, com uma diversitade grande de cenários.

Se você ficou interessado, pesquise um pouco mais, assista alguns vídeos no youtube e veja com mais detalhes como funciona a partida. Eu amei o jogo, apesar de ter ficado emburrado quase o tempo todo, ele garante muitas risadas.


Agora me diga, você já jogou Arcádia alguma vez? O que achou do board game? Deixe o seu comentário dizendo o que achou desse post.
Se você ainda não conhece um dos melhores jogos de tabuleiro, clique e descubra Zombicide.

Não se esqueça de compartilhar essa matéria com seus amigo e até a próxima!

*** Me siga nas redes sociais e conheça meu livro ***

A Invasão de Tanagor - Descubra os detalhes exclusivos do livro.
Raphael Albuquerque - Siga minha página no Facebook.
Biblioteca do Olimpo - Siga a página do blog no Facebook.







3 comentários:

  1. Mui tá treta vish, hahahaha, parabéns raphael pela matéria arcadia quest me surpreendeu demorei muito pra comprar ele estacabou com um pouco de medo, porém hoje posso dizer que é um dos meus preferidos

    ResponderExcluir
  2. Mui tá treta vish, hahahaha, parabéns raphael pela matéria arcadia quest me surpreendeu demorei muito pra comprar ele estacabou com um pouco de medo, porém hoje posso dizer que é um dos meus preferidos

    ResponderExcluir
  3. Eu também gostei do jogo, bem competitivo! Rsrsrs

    ResponderExcluir