segunda-feira, 17 de junho de 2013

Dicas Para Escrever: "Fortaleça seu Vilão"


Olá Leitores.
Semana passada eu disse que as dias sobre vilões haviam acabado. Entretanto, acabei encontrando mais uma dica no site Dicas de Roteiro. 
Agora sim acredito que esta seja a última. Rsrs. Até eu encontrar outra!

Segue a Dica!


Você precisa de um vilão?
Uma pergunta que eu ouço com frequência é: “Eu realmente preciso de um antagonista/vilão?”. Geralmente estes escritores têm um personagem principal lutando contra algo como uma tempestade, ou um império do mal, ou algo mais abstrato. Nestes casos, não, você não tem de ter um vilão; mas se você puder personificar o mal dessa oposição abstrata em um personagem, você terá uma história mais forte.
Crie uma única tempestade ou dê ao leitor um general militar para odiar (pense em Darth Vader).
A sua história ficará mais forte com um forte antagonista, porque vai concentrar os esforços do personagem principal. Vamos supor que você tenha um bom vilão e que na próxima revisão você queira fortalecê-lo. Em geral, você vai querer olhar para o que você já fez, e empurrá-lo para um nível mais intenso. Como os vilões são um tipo diferente de personagem, existem alguns clichês que funcionam ao criá-los. Certifique-se de trabalhar contra esses clichês e fazer o seu vilão novo e interessante.

APARÊNCIA FÍSICA – Duas opções:
1. FEIA – A sua feiúra exterior reflete a sua natureza interna maléfica.
  • mãos e roupas sujas
  • olhos pálidos, triste, cadavérico, sinistro, frio como pedra, em chamas, misterioso, tacanho, inclinado, velado, vigarista, estranho, horrível, ardente de paixão, sagaz, penetrante, tenebroso, atrevido, brilhante, sombrio
  • respiração fétida
  • voz aguda, cruel, pensativa, severa, frequentemente chega ao falsete
  • deformado de alguma forma – corcunda, faltando uma perna (Long John Silver), cicatrizes
  • carnudo ou gordo por excesso de indulgência ou desejos carnais
  • mãos curtas e dedos atarracados, gordos/carnudos, grandes, brancos, implacáveis, unhas afiadas, pêlos nas palmas das mãos
  • pêlos faciais – suíças excêntricas, bigodes cruéis
  • ossudo
  • pele pálida, bronzeado em excesso
  • fisicamente forte, forte – mas não inteligente
  • ri feito uma hiena, ri em ocasiões estranhas
Coringa - Vilão do Batman

2. LINDA – O seu exterior contrasta com a sua natureza interna maléfica
  • movimentos graciosos, feito gato
  • inteligente – um inimigo digno
  • sexy
  • tipo herói, frequentemente tenta imitar um herói, um rei, um guerreiro antigo etc.
  • voz melodiosa, rouca, sexy
  • cabelos bastos, belos, longos
  • roupas e acessórios – esplendidamente guarnecido, gosto impecável para roupas, aparência arrojada
Rainha Ravenna - Branca de Neve

QUALIDADES DE CARÁTER
Estas são algumas das qualidades de caráter a levar em consideração no momento em que você definir o seu vilão:
  • Todos os vilões devem desfrutar de sua vilania.
  • Cruéis
  • Conhecido pela reputação de crimes do passado/cadáveres do passado
  • Coloca as outras pessoas em posição de fracassar, e então as pune quando elas de fato falham
  • Vingança
  • Sem piedade
  • Traiçoeiro – sem lealdade. Insinua-se em cargos de confiança, e então trai.
  • Ardiloso, astuto, conivente
  • Bully – abuso físico e mental
  • Infância – instável, frustrado, infeliz, reformatório
  • Carisma – fascina os fracos (geralmente do sexo feminino)
  • Implacável – faz do seu próprio jeito, custe o que custar
  • Ambições frustradas
  • Sagaz, tino para os negócios
  • Linguagem obscena
OUTRAS CARACTERÍSTICAS
  • Muitas vezes é estrangeiro ou de um grupo étnico diferente. (Não é politicamente correto nos dias de hoje, claro, mas ainda é feito com frequência).
  • Geralmente veste preto. (Outra noção politicamente incorreta, mas a cor pode ser útil para designar grupos. Poderia também utilizar algum outro rótulo visual, por exemplo, sinais de gangue, tatuagens etc.).
  • Ferramentas/Casa – frequentemente estas são sinistras. Em outras palavras, faça o cenário repercutir sua vilania.
  • Como este personagem é maior-do-que a-vida? O que ele(a) faz, diz, ou pensa que chocaria completamente até eles mesmos?
MOTIVAÇÕES
Aprofunde as motivações e as emoções de seu personagem levando em consideração o seguinte:
  • Dê ao vilão um conflito interior. O que ele mais quer? Qual é o oposto disso? Como poderia o personagem querer ambos ao mesmo tempo?
  • Aumente as apostas. Mesmo os vilões podem ter as apostas aumentadas! O que poderia acontecer para fazer o objetivo do vilão importar ainda mais?
  • Você planejou o vilão? O arco do personagem? Geralmente o arco do personagem do vilão acaba em tragédia (ele/a é derrotado/a!). Você mostra, ao invés de contar, as emoções do seu vilão no clímax?


Até a próxima dica!

3 comentários:

  1. Olá, Raphael. Adorei as dicas: construir um bom vilão sempre é complicado. Podemos pecar por exagero ou por empobrecimento do personagem. Achei as dicas boas, mas talvez pudesse haver uma ressalva para que elas não sejam usadas com abuso, porque isso poderia gerar um personagem tão clichê que se torna fraco ou não causa interesse no leitor. Acho que, sabendo equilibrar as características citadas, só dá pra construir um bom vilão!
    Abraços,
    Niki - http://www.meigaemalefica.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem toda Razão Niki. Devemos usar as dicas com sabedoria, elas sevem apenas para nos ajudar em alguns pontos.
      Na verdade, nós já devemos ter em mente o "esqueleto" do nosso vilão, ai com as dicas, vamos apenas "temperando" como ele é.

      Excluir
  2. Eu acho que o melhor modo de dar profundidade aos vilões é escreve-los como se fossem os heróis.

    Criar um vilão interessante é trabalhoso porque, ao contrário dos mocinhos (que são caras legais, com qualidades e virtudes) é difícil criar a identificação do leitor com esse personagem. Quando são escritos como *pessoas*, e não como *vilões*, os inimigos ficam mais humanos, podendo gerar simpatia, admiração... e um temor maior quando se percebe os atos terríveis que o personagem comete, apesar de suas qualidades e fragilidades.

    Ter algum malvado desprezível e evidente maldade pode ser bom e é necessário em certos tipos de história, mas os mais memoráveis são aqueles possíveis de se imaginar no mundo real. Caso contrário é fácil torna-lo um cliché ou um monstro sem rosto, algo inumano (o que pode ser muito bom, se essa é sua intenção desde o começo, mas péssimo se você queria descrever uma pessoa crível).

    Eu acho legal criar vilões com características inesperadas, próprias de heróis, ou que acrescentem fragilidade. Como reagir diante de um vilão com honra? Ou um vilão cortês, gentil com seus aliados e bondoso com seus inferiores? Vilões que realizam atos valorosos, aclamados por certas pessoas? Vilões com amigos verdadeiros? Medos intensos? Inseguranças? E o mais importante: O que faz uma pessoa dessas se desviar pro lado "do mal"?

    O mal é sempre daninho e um tanto burro. Mesmo o mais grandioso dos vilões, se analisado a fundo, vai revelar uma pessoa frágil, ignorante e infeliz. Quer dizer... por que outro motivo qualquer um teria para se dedicar à desgraça dos outros? Vale a pena considerar...

    ResponderExcluir